Como o MBA pode ter preparar para a transformação digital?
13/12/2018
10yearschallenge: como será seu futuro com uma pós-graduação?
24/01/2019
Exibir tudo

Pressão por resultados, alta carga de impostos, busca por talentos, expansão, concorrência. São apenas alguns dos desafios enfrentados por qualquer corporação nos dias de hoje. Quando se trata de empresas familiares, outros itens – talvez ainda mais críticos – são adicionados a esta lista:

  • Sucessão e a mudança geracional do controle corporativo;
  • Separação do patrimônio e despesas da empresa versus o da família;
  • Estruturação da governança corporativa para que o negócio tenha perenidade e longevidade
  • Profissionalização da estrutura e da gestão para que a empresa continue crescendo.

Muitos dizem que passou a época em que negócios de propriedade familiar eram maioria, e que hoje em dia a inclusão de membros da família nos negócios é muito menor. Não é o que diz a Pesquisa de Empresas Familiares no Brasil, divulgada em 2016 pela PwC. Ela aponta que empresas familiares representam 80% das 19 milhões de companhias que existem no País e são responsáveis por contribuir com cerca de 50% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, segundo o Firm Institute.

Ainda que a empresa familiar conte com a vantagem do comprometimento, é preciso preparo e capacitação para exercer as diferentes funções. Muitas vezes, a família depende daquele negócio para sobreviver e busca sempre o melhor resultado, no entanto, o simples fato de fazer parte da família muitas vezes não é o bastante para justificar fazer parte da estrutura.

Confira a seguir as principais estratégias para evitar o caos e cultivar a harmonia e a ordem no ambiente da empresa familiar.

Capacitação, independente da função

Uma situação comum em empresas familiares é contar com pessoas de confiança em seu time de gestão. Profissionais que fizeram parte da história e cresceram com a empresa, mas que não necessariamente possuem as qualificações ideais para exercer aquela função. Para se estruturar adequadamente, é fundamental que a empresa invista na capacitação do time, para que todos – consanguíneos ou não – estejam alinhados com as discussões estratégicas que surgirão ao longo da trajetória de crescimento da empresa.

As influências do convívio familiar

Quando as empresas começam a crescer e, em paralelo, as famílias também, é comum que a empresa se torne um local “seguro” para todos os membros trabalharem. “Se os critérios de admissão, promoção ou demissão de um profissional da família não forem claros e definidos para todos acontece o fenômeno de ‘cabide de empregos’”, explica Mariana Teixeira, Sócia Diretora da PKT Desenvolvimento Empresarial.

Os membros da família que trabalham na empresa podem se tornar um peso ao negócio. Se não geram o resultado esperado, impactam na performance corporativa e podem dar origem a intrigas e conflitos. Então, os problemas da empresa podem passar a afetar a harmonia familiar e vice-versa. O negócio costuma estagnar, o clima fica ruim, bons profissionais vão embora e a empresa entra num círculo vicioso que pode levar até a falência. É aí que uma ajuda externa para reestruturar o negócio é bem-vinda.

Sinal amarelo: quando é preciso buscar suporte externo?

Crise, estagnação ou quando a empresa atinge um porte médio e começa a ter dificuldade em continuar crescendo em função de seu tamanho e complexidade. Esses são sinais claros de que está na hora de um suporte externo. Isso, porque, na maioria dos casos, um esforço interno não é suficiente ou não possui a agilidade para fazer a estruturação necessária.

É aí que entra a figura de um parceiro. “Uma consultoria especializada traz outro olhar para a gestão. Ela possui a habilidade de estruturar o negócio, formular um planejamento de curto, médio e longo prazo, alinhar a organização, envolver o time e acompanhar a execução deste plano”, garante Mariana.

O cuidado com a escolha do parceiro é importante para o sucesso do trabalho. Um fornecedor experiente em ações com empresas de médio porte e de gestão familiar terá as habilidades necessárias e conseguirá entender, absorver e respeitar as particularidades e cultura durante o trabalho de estruturação.

Longevidade corporativa vs processo de sucessão

Uma pesquisa do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) mostrou que mais de 70% das empresas não resistem à segunda geração. Isso se deve, principalmente, a como é gerenciada a sucessão nas empresas familiares.

Não basta ser filho, sobrinho, neto ou ter qualquer parentesco com o fundador da empresa para ser o escolhido. Inicialmente, este profissional precisa ser preparado para o cargo, o que pode acontecer de diversas formas. Passar por diferentes áreas da empresa, ter experiências em outras empresas do mesmo segmento e/ou em empresas de porte diferente, estudar em instituições de primeira linha, entre outras opções.

Além disso, o sucessor deve querer assumir essa posição. “Muitos sucessores são forçados a assumir um papel ou trabalhar na empresa quando na verdade nem gostariam de estar lá”, alerta Mariana.

Finalmente, o profissional precisa ser escolhido e/ou aceito pela família e pelo fundador. E não se deve esperar que ele seja igual ao sucedido. Sua vinda para a empresa representa uma renovação ao negócio, ainda que os valores devam ser sempre preservados. Outro ponto importante diz respeito ao tempo do processo sucessório, que deve ser gradual: não se trata de um evento de entrada de um e de saída do outro. Leva em torno de 2 anos, podendo, em alguns casos, durar muito mais.

Fatores de sucesso de empresa familiar

As empresas familiares de sucesso são aquelas que conseguem reconhecer o momento em que o modus operandi que já teve êxito no passado não está mais performando adequadamente. É neste momento que uma ajuda externa capaz de organizar o negócio é imprescindível. E isso independentemente da finalidade: estruturar para o crescimento, preparar para a sucessão ou venda da empresa.

E uma máxima sempre deve ser seguida no negócio familiar: a família tem que trabalhar em prol da empresa, e nunca a empresa trabalhar em prol da família. Cuidar para manter os sentimentos pessoais fora das decisões e colocar o negócio em primeiro lugar durante o horário de trabalho também são fatores essenciais para aproveitar o sucesso a longo prazo.

De família para família

A PKT Desenvolvimento Empresarial é uma empresa familiar com vasta experiência em auxiliar empresas familiares a estruturarem a gestão e a governança de seus negócios preservando a harmonia familiar. Nossos projetos são desenvolvidos de forma customizada para atender as necessidades de cada cliente. Entre em contato para saber como podemos te ajudar!


WhatsApp chat