Gestão comercial: como se preparar para mercados cada vez mais mutáveis
05/12/2019
5 passos para uma gestão empresarial mais eficiente
13/01/2020
Exibir tudo

Tecnologia e Gestão: humanização é a palavra chave para gestores que buscam performance

É fato que a tecnologia está avançando cada vez mais a passos largos. Quando imaginamos que um equipamento atingiu suas potencialidades máximas, por exemplo, ele surge no próximo ano – até mesmo meses depois – com outro formato e novas ferramentas que antes eram impensáveis.

Se novos aparatos tecnológicos passaram a fazer parte do cotidiano das pessoas em seu âmbito familiar, nas empresas, aquelas que não se inserem nesse contexto acabaram ficando para trás. Isso porque a aquisição de equipamentos, a implementação de sistemas e a transformação digital propiciam que as empresas – inclusive as micro, pequenas e médias – ampliem seus níveis de produtividade, conquistem novos clientes e melhorem seus resultados.

Para a maioria das empresas, felizmente, a tecnologia tem sido aliada há tempos. E sua importância nem é mais motivo de discussão, ainda que sempre seja preciso investir em soluções de tecnologia que reduzam custos de operação e aumentem a produtividade.

Mas como os padrões das empresas mudaram com a chegada de novas ferramentas e das inovações que revolucionam a forma de atuação em determinadas atividades, uma nova preocupação se torna latente: a humanização de sua equipe.

 

Tecnologia e Gestão: estamos na contramão?

Preocupar-se com as pessoas quando se tem o aparato tecnológico nas mãos parece ir na contramão da tendência mundial, mas é aí que os gestores se enganam. O relacionamento entre os funcionários dentro do ambiente corporativo, tornando-o mais interativo, faz com que as empresas sejam mais humanizadas e as ajuda a atingir melhores resultados.

A felicidade dos trabalhadores foi, inclusive, mote de estudo da Universidade da Califórnia. Os dados apontam que um funcionário feliz é, em média, 31% mais produtivo do que os demais. Além disso, as vendas desses profissionais são 37% mais elevadas e sua criatividade é três vezes maior do que pessoas que não são felizes no trabalho.

Aí fica a pergunta: como deixar os profissionais satisfeitos para atingir a excelência na equipe sem que haja prejuízo para a empresa? A resposta não é objetiva, mas o primeiro passo é uma mudança de atitude por parte das lideranças, que devem entender quais são as prioridades do seu corpo corporativo. Diretoria e equipe devem, sempre, estar em total sintonia.

 

A mudança começa nas lideranças

Essas mudanças no intuito de humanizar a gestão corporativa não preveem apenas lideranças com competência técnica, mas com comportamento diferente e novas formas de enxergar o ambiente de trabalho.

Esses processos geralmente demandam culturas mais abertas à experimentação e à adaptabilidade nos mais diversos contextos. Às vezes é necessário, inclusive, correr riscos ao experimentar novas situações para que haja uma cultura de sucesso.

As lideranças das empresas precisam, por exemplo, delegar mais, dar mais autonomia aos seus funcionários e fazer com que eles se sintam parte dos projetos da empresa.

As mudanças não são fáceis, ainda mais para quem vem do mundo analógico e ainda está se adaptando às novas tecnologias. A dica é sempre entender as demandas da empresa em relação às competências e atributos dos seus funcionários e optar por ações objetivas que ajudem a desenvolver características digitais.

Nos processos de recrutamento, por exemplo, é importante tentar trazer para a empresa pessoas que complementem o time de liderança em atributos que talvez estejam faltando. Atrair novos líderes, antes muitas vezes evitado por receio de competitividade, tornou-se obrigatório nesse novo contexto.

 

Como reter talentos

É geralmente nesses processos de recrutamento que são identificados novos talentos que muito têm a contribuir para a empresa. Para atraí-los para seu ambiente de trabalho e, mais ainda, retê-los, é importante apresentar um propósito claro, pois as gerações de hoje estão mais atentas aos projetos de vida que à remuneração em si.

Plano de carreira, programa de desenvolvimento e benefícios são aspectos que sempre devem ser considerados. Mas, ouvir seus colaboradores para criar um clima agradável e interessante dentro do mercado de trabalho deve vir em primeiro plano. Faça desta uma prática na sua empresa. Tecnologia e Gestão podem atuar à favor do seu negócio!